O chanceler Aloysio Nunes fala à imprensa após reunião com integrantes do Mercosul em Assunção, Paraguai. Crédito: Divulgação. 17.06.2018

Brasília – Em comunicado conjunto divulgado à imprensa nesta segunda-feira (18), Brasil, Paraguai e Uruguai, integrantes do Mercosul, condenaram a violência que vem ocorrendo na Nicarágua desde 18 de abril passado. É a primeira vez que o bloco se manifesta sobre a crise naquele país.

Em Assunção, capital paraguaia, onde estão para reunião do Mercosul, os integrantes do bloco “encorajam o Governo e o povo da Nicarágua a retomar o diálogo nacional coordenado pela Conferência Episcopal, com o objetivo de consensuar uma solução pacífica para a grave crise e apoiar os esforços de cooperação no âmbito da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), para a investigação e o esclarecimento dos fatos de violência.”

O grupo destacou ainda a importância de “restabelecer o clima de convivência pacífica, respeitar a institucionalidade democrática e garantir o direito da cidadania a manifestar-se.”

Venezuela

Em outro comunicado, os estados integrantes do bloco fizeram novamente apelo ao governo Nicolás Maduro “a coordenar, com a comunidade internacional, o estabelecimento de canais para o acesso de ajuda humanitária para paliar a crise social e migratória que vive o país.”

Brasil, Paraguai e Uruguai também pedem para o governo estabelecer um sistema para o intercâmbio de informação epidemiológica com os países da região.

Deixe um comentário