O chanceler Aloysio Nunes cumprimenta o diretor-executivo da Agência Internacional de Energia, Faith Birol, durante formalização do ingresso do Brasil à AIE. (Crédito: Divulgação)

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, cumprimenta o diretor-executivo da Agência Internacional de Energia, Faith Birol. (Crédito: Divulgação)

Brasília – O Brasil passou a integrar a Agência Internacional de Energia (AIE) nesta terça-feira (31). A entrada do país foi efetivada durante cerimônia no Palácio Itamaraty, em Brasília.

Fundada em 1974, a AIE – ligada à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE) – é uma plataforma para diálogo e fonte de troca de dados de última geração no setor de energia.

Com a nova associação, o Brasil terá maior oferta de treinamentos e cursos na área de energia, poderá receber visitas de especialistas e receberá resultados de estudos de ponta a que antes não tinha acesso.

“A AIE é uma plataforma importantíssima para a troca de experiências, para comunicarmos as nossas, para treinarmos o nosso pessoal. De modo que é uma colaboração que, seguramente, dará muitos bons frutos no futuro”, ressaltou o chanceler Aloysio Nunes Ferreira. O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, e o diretor-executivo da AIE, Fatih Birol, também estiveram no evento.

A agência conta com 29 membros e outros dois países em processo de adesão (Chile e México). Desde 2013, a AIE tem adotado política de abertura para abrigar membros fora da OCDE. Desde então, seis países já se associaram: China, Índia, Indonésia, Marrocos, Singapura e Tailândia. O Brasil passa a ser o sétimo dessa lista.

Deixe um comentário