O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, e o chanceler da Espanha, Josep Borrell, durante declaração à imprensa, em Madri. Crédito: Divulgação/MRE

Madri – Brasil e Espanha são contrários a qualquer intervenção externa para solucionar a crise na Venezuela. A declaração foi dada pelo ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, logo após reunião com o chanceler espanhol, Josep Borrell, nesta quinta-feira (11), em Madri.

“Somos a favor da solução pacífica dos problemas da Venezuela. Somos contra qualquer intervenção externa e qualquer solução violenta interna”, afirmou o brasileiro. “Que a oposição se organize, crie uma plataforma comum e que o governo compreenda que é preciso abrir um diálogo sério”.

No último dia 28, após a suspensão da relação entre os dois países, ocorrida em dezembro passado, Aloysio Nunes se encontrou com o chanceler venezuelano, Jorge Arreaza. A reunião ocorreu em paralelo à Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York (EUA).

“Temos, sim, [tido] diálogo. Não no nível político mais elevado, mas é um diálogo com o chanceler e outras instâncias do governo sobre assuntos de interesse comum, como segurança nas fronteiras e problemas sanitários em que estamos prontos para colaborar com o governo venezuelano”, disse o ministro do Brasil.

Eleições no Brasil

Perguntado sobre a candidatura do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) à presidência e sua relação com temas como democracia e direitos humanos, Aloysio Nunes ressaltou a força das instituições brasileiras.

“Não é a mudança de um governante que vai mudar a nossa situação de direitos humanos”, enfatizou. “A nossa legislação é exemplar. Ela não apenas é baseada em normas federais, como em normas constitucionais e decisões absolutamente convergentes em todos os tribunais do nosso sistema judiciário”.

“Temos compromissos internacionais muito fortes nessa matéria. Tudo isso alicerçado em legislação”, complementou o chanceler brasileiro.

Deixe um comentário