O chanceler Aloysio Nunes e a comissária de Comércio da União Europeia, Cecilia Malmstrom. (Crédito: Divulgação)

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, e a comissária de Comércio da União Europeia, Cecilia Malmstrom. (Crédito: Divulgação)

Buenos Aires – No encerramento da conferência ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC) nesta quarta-feira (13), o chanceler Aloysio Nunes Ferreira destacou que o processo de conclusão do acordo Mercosul-União Europeia vai acelerar negociações com outros países e blocos.

O ministro das Relações Exteriores destacou que, ao longo do evento, países como Singapura e Nova Zelândia mostraram interesse em iniciar conversas para estabelecer livre comércio com o Mercosul. “Com o Canadá já temos um namoro e caminhamos para um noivado”, disse Aloysio Nunes.

Ainda na capital argentina, o chanceler se reuniu com o ministro do Comércio egípcio, Tarek Kabil. O acordo entre o bloco sul-americano e o Egito já entrou em vigor no último dia 7. Cairo é o principal destino das exportações brasileiras para a África.

Sobre a reunião com o ministro de Comércio Internacional do Reino Unido, Liam Fox, Aloysio Nunes ressaltou o interesse britânico de aprofundar as relações com o bloco – tendo em vista o processo de saída do país da UE.

Segundo o brasileiro, Londres pediu ainda ajuda a Brasília para mapear o atual estágio e o fluxo das exportações ao Brasil. “[Eles querem] guardar o acervo [do que foi feito antes do Brexit] e ir adiante”, afirmou.

Então os fatores que contribuem para o atual dinamismo no Mercosul, o ministro das Relações Exteriores ressalta que – por contas das intensas negociações com a UE em 2017 – foi criado um ambiente de colaboração mútua entre os chanceleres.

“Houve um entrosamento muito grande entre as equipes”, disse. No caso das conversas com a União Europeia, “não há uma linha que tenha que tenha escrita e que não tenha sido acordada entre os quatro países [Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai]”.

Deixe um comentário